Fotografar com o Celular ou não? Eis a questão.

Com todo respeito à tragédia de Hamlet e pedindo licença poética para William Shakespeare, abro esse texto fazendo duas perguntas diretas a você.
Você já fotografou hoje?

Tenho acompanhado com certa distância uma recente discussão sobre a morte da fotografia, e sinceramente não vou entrar nesse assunto, pois tenho minhas observações formadas sobre esse conceito.

Em busca constante de evolução é natural que as plataformas se transformem durante o caminho.
Recordo-me de uma passagem em 1996, quando conseguimos a muito custo acessar a um portal de notícias via internet discada.
Na época um professor de programação disse:

“O jornal impresso está com os dias contados”.

Mesmo durante o BOOM da internet os jornais impressos não deixaram de existir.

Embora tenham mudado suas plataformas de publicações o impresso não acabou.

Diminuíram as tiragens, reformularam sua arquitetura e assumiram sabiamente outros mecanismos de mídia, e dessa forma reformularam seu público atraindo ainda mais leitores.

Inteligência?

Não, análise estratégica de mercado, desprendimento e busca por evolução.

Em minha opinião a fotografia nunca esteve tão viva.

Afinal, a fotografia em seu sentido literal não é escrever com a luz?

Pois bem, “nunca antes na história desse país” se escreveu tanto.

O que mudou foi a plataforma de captação dessas imagens.

Olha ao seu redor nesse exato momento e analise quantas pessoas estão com celulares em mãos.

Chega a ser assustador imaginar que todas elas têm uma câmera fotográfica nas mãos.

Cada uma com sua história pessoal, prontas para captar o melhor momento daquele instante numa selfie repleta de amigos, que será postada em alguma mídia social, até que o melhor momento do próximo instante tome seu lugar em outra selfie com um prato de sushi.

Em tempo, adoro selfie e sushi, e se encontrar comigo pelas ruas pode me convidar para os dois.

Se a mídia impressa mudou, por que nós fotógrafos não podemos mudar e evoluir?

Poderíamos entrar numa grande discussão aqui sobre a qualidade das imagens capturadas, seus tratamentos e suas aplicações, mas vamos fazer isso em partes.

O que não mudou nesse tempo todo foi a necessidade de se aprender a fotografar para conseguir fazer uma boa fotografia.

Ou seja, todas aquelas regras básicas de fotografia criadas no tempo do papel e que se perduram ao longo do tempo serão eternamente válidas.

Aproveite essas 5 dicas para você aprender a fotografar melhor com seu celular.

1- Estude fotografia

Parecer ser uma dica simples, mas não é.
Esses dias durante uma feira de ciências na escola de meus filhos, pedi para uma professora tirar uma foto de nossa família, afinal já havíamos feito algumas selfies.
Fiquei chocado ao ver o resultado, pois pensei que cortar as cabeças das pessoas era uma coisa inimaginável nos dias de hoje.
Pois bem, falta total de enquadramento associada à um corte assustador.
Má vontade em fazer a fotografia?
Não, apenas falta de conhecimento fotográfico e desconforto com o dispositivo.

“Nossa nunca fotografei com esse celular”

Apertar o botão é fácil, mas para conseguir uma boa fotografia você precisará estudar as regras de composição, cortes, enquadramentos, Sequência de Fibonacci, e a luz.
Sim, se você quer fotografar corretamente com seu celular, é preciso entender a luz.
Como ela caminha e ilumina – ou não – a cena, como o fluxo de luz pode ajudar – ou atrapalhar o melhor momento daquele instante.

Quanto mais você treinar seu olhar para compreender a luz, melhor será o resultado na prática de sua fotografia.

As mesmas regras que você aplicar em seu celular, servirão para qualquer dispositivo de captação de imagens, sejam câmera fotográficas analógicas, digitais, pinhole, enfim.

2- Conheça todos os recursos de seu dispositivo.

Básico não é mesmo?

Mas, vejo muitas pessoas “apanhando” de seu celular na hora de fotografar por não conhecerem suas ferramentas.
Em contrapartida vejo fotos tecnicamente boas, mas com um tratamento ruim.
Acredito que isso aconteça por desconhecimento de Apps de tratamento.
Existem vários, eu uso e gosto muito do Snapseed – tanto para tratamento das fotos em RAW ou JPG.
Um detalhe importante que percebo ser recorrente, é que as fotos postadas no instagram perdem totalmente a qualidade quando compartilhadas no facebook.
Outro ponto importante é que, ao abrir um arquivo editado no celular em minha estação de trabalho, sinto a falta de contraste nas imagens.
Isso pode ser devido à calibragem dos monitores etc.
Na prática, eu prefiro fechar os arquivos para impressão final em meu monitor que é calibrado com o laboratório que uso.

3- Continue estudando fotografia! Não desista!

4- Tenhas boas referências

A boa fotografia é um exercício diário, portanto busque boas referências fotográficas para alimentar seu aprendizado.
Existem perfis incríveis para acompanhar diariamente no Instagram, deixo aqui alguns:
@aurch, @ericlicen, @cesinha, @mascelonava @paulodelvalle

5- Coloque em prática seu aprendizado! Pratique diariamente a fotografia!

“Ah Tyto, mas onde eu moro não tem muita opção para fotografar!”

Quebre esse mito! A fotografia acontece a toda hora e em todo lugar, basta observar as cores, as formas, as sombras, a texturas e a luzes.

6- Imprima suas fotos.

Se seguir esses 5 passos, garanto que sua fotografia será uma constante evolução caminhando por entre as altas e as baixas luzes, explorando as mais diversas tonalidades que nosso olhar pode absorver e principalmente, você transformará seu conhecimento em algo tangível.

Agora que você chegou até aqui deixo o convite para conhecer meu curso online de Fotografia com Celular.

Sucesso para todos nós, sempre.
Tyto Neves

X