A fotografia em preto-e-branco é uma forma de arte que existe há mais de 200 anos.

Foi a primeira forma de fotografia a ser desenvolvida e, por muitos anos, foi a única forma disponível.

A fotografia em preto-e-branco ainda é uma forma popular de arte hoje, pois oferece uma estética única e intemporal.

Os primeiros passos

A primeira fotografia em preto-e-branco foi tirada pelo francês Joseph Nicéphore Niépce em 1826.

A imagem, chamada “Vista da Janela em Le Gras”, foi tirada em uma placa de metal sensibilizada com um óleo de cera.

A exposição durou oito horas, o que resultou em uma imagem muito escura e granulada.

Nos anos seguintes, outros fotógrafos desenvolveram novos processos fotográficos.

Em 1837, o francês Louis Daguerre inventou o daguerreótipo, um processo que produzia imagens mais nítidas e detalhadas.

O daguerreótipo rapidamente se tornou o processo fotográfico mais popular, e foi usado para captar imagens de pessoas, paisagens e eventos históricos.

Imagem de Fotografia de Joseph Nicéphore Niépce Vista da Janela em Le Gras

A era da gelatina de prata

No final do século XIX, o processo da gelatina de prata se tornou o novo padrão na fotografia. A gelatina de prata era um processo mais rápido e barato do que o daguerreótipo, e produzia imagens mais contrastantes. O processo da gelatina de prata foi usado para criar algumas das fotografias mais famosas de todos os tempos, incluindo as imagens de Ansel Adams do Parque Nacional de Yosemite.

Imagem de Fotografia de Ansel Adams The Monolith, The Face of Half Dome, Yosemite National Park

Artistas da fotografia em preto-e-branco

A fotografia em preto-e-branco foi usada por muitos artistas ao longo da história. Alguns dos fotógrafos mais famosos da fotografia em preto-e-branco incluem:

  • Ansel Adams (1902-1984): Adams é conhecido por suas imagens dramáticas do Parque Nacional de Yosemite. Suas fotografias são caracterizadas por seu forte contraste e uso de sombras.

  • Henri Cartier-Bresson (1908-2004): Cartier-Bresson é considerado o fundador da fotografia de rua. Suas fotografias são caracterizadas por sua captura de momentos espontâneos e cotidianos.

  • Diane Arbus (1923-1971): Arbus é conhecida por suas fotografias de pessoas marginalizadas e excêntricas. Suas fotografias são caracterizadas por sua honestidade e franqueza.

A fotografia em preto e branco hoje

A fotografia em preto-e-branco ainda é uma forma popular de arte hoje. Muitos fotógrafos continuam a usar o preto-e-branco para criar imagens que são tanto estéticas quanto significativas. A fotografia em preto e branco oferece uma estética única e intemporal que pode ser usada para capturar uma variedade de temas e emoções.

A estética da fotografia em preto-e-branco

A fotografia em preto-e-branco oferece uma estética única que pode ser usada para criar imagens poderosas e expressivas. O preto-e-branco pode ser usado para enfatizar o contraste, a forma e a textura. Também pode ser usado para criar uma sensação de nostalgia ou melancolia.

Alguns dos elementos estéticos que podem ser usados para criar imagens poderosas em preto-e-branco incluem:

  • Contraste: O contraste entre as áreas claras e escuras de uma imagem pode ser usado para criar uma sensação de drama ou tensão.
  • Forma: A forma pode ser enfatizada em uma imagem em preto-e-branco usando linhas e contornos fortes.
  • Textura: A textura pode ser enfatizada em uma imagem em preto-e-branco usando sombras e reflexos.
  • Nostalgia: O preto-e-branco pode ser usado para criar uma sensação de nostalgia ou melancolia, evocando memórias.

A era da gelatina de prata

No final do século XIX, o processo da gelatina de prata se tornou o novo padrão na fotografia. A gelatina de prata era um processo mais rápido e barato do que o daguerreótipo, e produzia imagens mais contrastantes. O processo da gelatina de prata foi usado para criar algumas das fotografias mais famosas de todos os tempos, incluindo as imagens de Ansel Adams do Parque Nacional de Yosemite.

A era da fotografia colorida

A fotografia colorida foi inventada no século XIX, mas não se tornou amplamente disponível até o século XX. A primeira fotografia colorida permanente foi tirada em 1861 pelo físico James Clerk Maxwell. No entanto, o processo de Maxwell era caro e complicado, e não era adequado para uso geral.

Contudo, na década de 1930, os processos fotográficos coloridos se tornaram mais baratos e fáceis de usar. A fotografia colorida rapidamente se tornou popular, e hoje é a forma mais comum de fotografia.

Artistas da fotografia em preto-e-branco

A fotografia em preto-e-branco foi usada por muitos artistas ao longo da história. Alguns dos fotógrafos mais famosos da fotografia em preto-e-branco incluem:

  • Ansel Adams (1902-1984): Adams é conhecido por suas imagens dramáticas do Parque Nacional de Yosemite. Suas fotografias são caracterizadas por seu forte contraste e uso de sombras.
    Imagem de Fotografia de Ansel Adams
  • Henri Cartier-Bresson (1908-2004): Cartier-Bresson é considerado um dos fundadores da fotografia de rua. Suas fotografias são caracterizadas por sua captura de momentos espontâneos e cotidianos.
    Imagem de Fotografia de Henri CartierBresson
  • Diane Arbus (1923-1971): Arbus é conhecida por suas fotografias de pessoas marginalizadas e excêntricas. Suas fotografias são caracterizadas por sua honestidade e franqueza.
    Imagem de Fotografia de Diane Arbus

A fotografia em preto-e-branco hoje

A fotografia em preto-e-branco ainda é uma forma popular de arte hoje.

Muitos fotógrafos continuam a usar o preto-e-branco para criar imagens que são tanto estéticas quanto significativas.

A fotografia em preto-e-branco oferece uma estética única e intemporal que pode ser usada para capturar uma variedade de temas e emoções.

Conclusão

Em suma, a fotografia em preto-e-branco é uma forma de arte versátil que pode ser usada para capturar uma variedade de temas e emoções.

A estética única do preto-e-branco pode ser usada para criar imagens poderosas e expressivas.

Boas fotos!

Equipe PBMAG


Foto da capa: HENRI CARTIER-BRESSON

X